notícias

Notícias
20/12/2017

O Agro sustenta a empregabilidade do Brasil”, afirma o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira em evento no MS  

Em evento que aconteceu na Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, em setembro deste ano, o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira afirmou que “o agro sustenta a empregabilidade do Brasil”. Ele destacou a importância da agropecuária para a economia nacional e disse que o agro manifesta o potencial produtivo do Brasil. “Diante da crise profunda vivida nos últimos dois anos, o setor sustentou a empregabilidade e é um pilar importantíssimo para o desenvolvimento do Brasil”.

A notícia foi publicada por vários veículos de comunicação especializados e também confirma a realidade positiva refletida entre os estudantes de Engenharia Agronômica da FESB (Fundação de Ensino Superior de Bragança Paulista). “Vem em uma crescente o número de alunos, que nem encerraram a graduação, e já estão empregados na área ou fazendo estágios remunerados”, comentou de forma entusiasmada a coordenadora do curso Profª. Dra. Cíntia Carla Avalhães Zancheta.

Josiéllen Ribeiro da Rosa (20 anos), estudante que acaba de completar o 6º semestre de Engenharia Agronômica da FESB é uma das que somou para que o índice de empregabilidade aumentasse. Depois de fazer estágio em outros locais foi contratada, há dois meses, por laboratório que desenvolve análise fitopatológica (doenças de plantas). “Estou super feliz. Acredito que a FESB, associada a meu esforço e estudos abriram as portas do mercado de trabalho para mim”.

O colega de turma de Josiéllen, o estudante João Paulo Berardi (22 anos) é mais um que teve sua carteira de trabalho carimbada. Há quase 3 anos atua em empresa de insumos agrícolas. “Entrei na faculdade e logo fui buscar estágio. Comecei as atividades em fevereiro e em março já estava contratado pela empresa”, relatou ao falar que a FESB tem este diferencial. “Está sempre nos incentivando e abrindo caminhos para nosso crescimento profissional”

Vitor Ruzon (20 anos), também segue a mesma trajetória dos colegas. Mesmo estando completando o 4ºsemestre de Engenharia Agronômica na FESB, já trabalha há 2 anos em empresa de insumos biológicos, da própria família. “Só que o caminho foi inverso”, ressaltou o estudante, ao fazer questão de afirmar, que quando ele iniciou a faculdade os pais não eram empresários. “Meu pai já trabalhava no ramo, mas como empregado e nunca me influenciou na escolha da carreira”, conta. “Engenharia agronômica é minha vida. Estar cursando a faculdade é um sonho realizado”.  Vitor ainda lembrou que, atualmente, o mercado exige que o profissional seja o melhor no que faz. “E a FESB nos prepara e nos oferece esta estrutura”, ressaltou. Empolgado ele afirmou que faz o que gosta, tanto como estudante, como profissional. “Afinal, tudo que aprendo em sala de aula aplico no campo. E na faculdade ainda tenho oportunidade de discutir com os professores o que vivencio em campo”.

Josiéllen, João Paulo e Vitor são alguns dos exemplos bem sucedidos entre os estudantes de Engenharia Agronômica da FESB. Porém eles não estão sozinhos. Neste universo há muito outros também empregados ou fazendo estágios remunerados.

O CURSO

A FESB é a única faculdade, na região Bragantina, que oferece o curso de Engenharia Agronômica. Contando com um corpo docente qualificado, sendo em sua maioria composto por mestres e doutores, além da estrutura completa de laboratórios para realização de aula práticas (química, anatomia, microscopia e multidisciplinar), a Engenharia Agronômica da FESB ainda oferece uma ampla área para realização de pesquisas em agricultura: a Fazenda Escola.  A novidade agora é a FESB Júnior. Uma associação sem fins lucrativos, formada e gerida por alunos, cujos principais objetivos são: fomentar o aprendizado prático do universitário em sua área de atuação e aproximar o mercado de trabalho, elaborando  projetos de consultoria na área de formação dos alunos.

O curso de Engenharia Agronômica tem duração de 5 anos, na modalidade presencial, incluindo disciplinas teórico/práticas, estágio supervisionado, trabalho de conclusão do curso (TCC) e atividades complementares, atribuindo ao aluno o grau de Engenheiro Agrônomo. Se interessou? Acesse o link e descubra um pouco mais sobre o curso: http://www.fesb.br/class_names/23-engenharia-agronomica.

Galeria de imagens

Josiéllen Ribeiro da Rosa
Josiéllen Ribeiro da Rosa 2
Vitor Ruzon
Vitor Ruzon
João Paulo