notícias

Notícias
20/07/2017

FESB participará dos Jogos Paralímpicos Universitários - A faculdade terá representantes na bocha, natação e tênis de mesa  

Confirmado. Pela segunda vez consecutiva, a FESB participará dos Jogos Paralímpicos Universitários. A faculdade será representada por quatro estudantes atletas. Eles participarão de 3 modalidades esportivas: bocha, natação e tênis de mesa.

Organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), em parceria com a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), os jogos acontecem de 26 a 30 de julho, em São Paulo, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Nesta edição, estarão sendo disputadas sete modalidades: atletismo, natação, bocha, judô, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e badminton. Ao todo, são esperados cerca de 400 atletas.

A FESB estará representada pelos estudantes Camila Joana de Oliveira (do curso de Nutrição. Participação: bocha e natação), Rafael Luiz Costa (do curso de Educação Física/Bacharelado - Participação: bocha), Jean Gomes Firmino de Oliveira (do curso de Educação Física/Bacharelado – Participação: natação), Matheus Martins Domingues (do curso de Educação Física/Bacharelado - Participação – natação e tênis de mesa). O grupo será coordenado pelo professor e técnico Luiz Aparecido dos Santos (Miguel). Ele que também é o responsável pelo Laboratório de Atividades Motoras Adaptadas e Saúde (LAMAS) da FESB. A delegação ainda contará com o apoio dos alunos Marcelo Maiani e Vitor R. de Oliveira.

Na última participação nos jogos, em 2016, a FESB subiu seis vezes ao pódio. Em duas delas ocupou o mais alto posto, com o atleta Jean Gomes Firmino de Oliveira. Na natação, ele conquistou medalhas de ouro nos 100m livre e nos 100m peito. O atleta ainda faturou um bronze nos 50m livre.

Camila Joana de Oliveira, também fez bonito. Trouxe para FESB mais três medalhas de prata, conquistadas na natação (50m costas, 100m livres e 50 livres).

Entusiasmado, o professor Luiz Aparecido dos Santos considera os Jogos Paralímpicos Universitários como uma vivência única, tantos aos alunos atletas, quanto para os estudantes que vão como apoio. “Além da integração com outros universitários, para os alunos que auxiliam é mais uma oportunidade de colocar em prática a teoria aprendida. Já para os atletas, além da interação social, é um estímulo a autoestima. É quando a letra “D” da deficiência é retirada e o que sobressai é a eficiência”.  

Galeria de imagens

Participação FESB de 2016
Atleta Jean - Jogos de 2016
Camila ao receber uma das medalhas em 2016